Redes Sociais

Colunas

Botafogo tem problemas com as catracas do Niltão

Publicado

em

Quando o telão do Nilton Santos anunciou o público de 9.160 torcedores (7.711 pagantes) na vitória do Botafogo por 2 a 0 sobre a Ponte Preta, no último domingo, teve gente que achou pouco pelo que se via no estádio. E um problema no acesso pelo Portão Leste fez com que muitos suspeitassem de que alvinegros teriam entrado sem terem sido contabilizados. De fato, o sistema local do setor caiu faltando cerca de uma hora para a partida, o que deixou longas filas e centenas de pessoas do lado de fora. Foi quando, segundo relatos, liberaram a entrada.

– As filas ficaram enormes, e eles liberaram as catracas. Abriram sem contabilizar, estava liberada, era só passar. Nós estávamos com a carteirinha, a minha mãe era a minha convidada, passamos todos direto. Era todo mundo com carteirinha de sócio-torcedor, até onde eu sei foi o sistema que caiu – contou a alvinegra Stephanie Negri, engenheira de 30 anos e que estava na fila.

Procurado pela reportagem, o clube negou que tenha ocorrido uma grande defasagem entre o público divulgado e o que estava presente. Segundo o vice-presidente de comunicação do Botafogo, Marcio Padilha, o número que vai para o borderô é contabilizado no ato da compra, e não no acesso ao estádio. O dirigente acredita que, se houve diferença, foi só no número de gratuidades distribuídas, o que aumentaria muito pouco a quantidade total.

– A catraca é só para ter um controle, aquele número que vai para o borderô é contabilizado na venda e no check-in ou reserva dos sócios. O borderô recebe isso direto do sistema. Se tinha gente ali sem ingresso foi muito sortudo, pode jogar na Mega-Sena, porque não tem como prever. Se entrou gente sem ser contabilizada seria só quem tem direito à gratuidade por lei – explicou.

A gratuidade no Rio de Janeiro é oferecida para crianças (menores de 12 anos), idosos (acima de 65) e portadores de necessidades especiais em setores determinados pelo clube mandante – cerca de 10% da Leste foi destinada para essa finalidade no jogo contra a Ponte Preta. Já cadeirantes têm gratuidade em todos os setores do estádio.

Para esta partida, o Botafogo não abriu os setores superiores do estádio, que tem capacidade para 10.500 cada um, devido à baixa expectativa de público. A Leste Inferior, que ocupa cerca de 6.500 lugares, foi o setor de maior ocupação, quase sua totalidade de acordo com fotos. Na Oeste inferior, com a mesma capacidade, imagens revelam que estava bem mais vazio. Assim como a Norte, onde cabem 4 mil torcedores, e a Sul, destinada à torcida visitante e que recebeu só cerca de 20 pessoas.

Fonte: globoesporte.com.br/botafogo


Clique para Comentar

Copyright © 2019 Rádio Botafogo. Todos os Direitos Reservados.

%d blogueiros gostam disto: