Redes Sociais

Colunas

Conhecendo o Adversário IV: Nacional do Uruguai

Publicado

em

Faaaaaaaala galera, olha eu aqui novamente!! Depois da emocionante fase de grupos, agora vamos para a fase de mata-mata da Copa Libertadores da América, e nosso adversário nas oitavas de final da competição é o tradicionalíssimo Nacional do Uruguai, clube centenário e recheado de histórias, títulos e algumas semelhanças com o nosso Glorioso Botafogo, vamos conhecer um pouco mais do nosso próximo adversário?

A HISTÓRIA

Escudo do Club Nacional de Football

O clube foi fundado em 14 de Maio de 1899 (118 anos), após a fusão entre os clubes Uruguay Athletic Club e Montevideo Football Club, o Nacional é um dos maiores clubes do futebol sul-americano, além de servir e ser base da seleção em várias ocasiões, o clube é o detentor de 46 títulos do campeonato nacional, sendo um dos maiores vencedores entre os clubes da primeira divisão, ficando atrás apenas do seu maior rival Peñarol, o Nacional também possui 3 títulos da Libertadores da América (1971, 1980 e 1988) vencendo nas finais respectivamente, o time argentino do Estudiantes, o brasileiro Internacional e mais um argentino, só que dessa vez o adversário foi o Newell’s Old Boys, um fato curioso é que todas as vezes que o Nacional foi campeão da Libertadores o clube também conquistou o mundial de clubes, em 1971 venceu o Panathinaikos da Grécia, pelo placar agregado de 3 a 2, em 1980 conquistou o título sobre o Nottingham Forest da Inglaterra, com uma vitória de 1×0 e em 1988 obteve o tricampeonato mundial ao vencer o PSV Eindhoven da Holanda liderada por Guus Hiddink, nos penâltis por 7×6, após um empate em 2×2 no tempo normal.

O ESTÁDIO

Estádio Gran Parque Central

O Estádio Gran Parque Central, ou simplesmente Parque Central, fica localizado no bairro La Blanqueada em Montevidéu, foi inaugurado em 25 de Maio 1900, o que o torna um dos estádios mais antigos do mundo, o estádio detém o título reconhecido pela FIFA, de ter sido sede da primeira partida da história das Copas do Mundo (disputado em 13 de Julho de 1930, entre Estados Unidos e Bélgica, com vitória americana por 3×0).

Apesar de antigo o estádio já passou por grandes reformas, restando apenas um velho moinho atrás da arquibancada sul que remete aos tempos de sua fundação, mesmo tendo passado por reformas o local destinado aos torcedores visitantes no Parque Central é inadequado, possui apenas uma entrada e saída.
Até a construção do estádio Centenário, para a Copa do Mundo de 1930 , o Parque Central foi o principal estádio do país, atualmente a casa do Nacional possui capacidade para 26.500 torcedores.

A TORCIDA

Os “hinchas” tricolores

Existe uma disputa entre Nacional e Peñarol para saber quem possui a maior torcida do país, a disputa é tão intensa que nem mesmo as pesquisas conseguem apresentar um panorama claro, alguns estudos apontam que o Nacional tem a preferência de 45% da população uruguaia e o Peñarol fica com 42%, outros institutos, apontam que o Peñarol possui 45% da preferência e o Nacional fica com 35%.

Independente disso, a torcida do Nacional sempre lota o Parque Central, foi uma das primeiras barras bravas (nome dado às torcidas em parte da América Latina) criada no mundo. É também muito famosa pela violência as vezes praticada, como por exemplo, arremessar pedras e garrafas contra a torcida visitante e por exercer grande pressão nos adversários do Nacional, cantando o jogo inteiro, mesmo quando o time tricolor está perdendo.
Foi na torcida do Nacional que surgiu o termo “hinchada”. Antes mesmo das barras bravas oficialmente existirem, um senhor funcionário do próprio Nacional comparecia a todos os jogos e não parava de incentivar o time tricolor. Pelo seu costume de inflar (no dialeto platense, “hinchar”) bolas em todos os jogos, ele ficou conhecido como o “hincha” – um termo que se espalharia por todo o mundo do futebol, especialmente o hispanófono, para designar o torcedor (e “hinchada”, a torcida).
Fica o recado para o nosso torcedor Botafoguense que vai para o Uruguai, ficar atento e não cair na pilha dos uruguaios.

O NACIONAL DE 2017

Com tradição e catimba Nacional avançou às oitavas da Libertadores

O Nacional já entrou em campo 27 vezes esse ano em jogos oficiais, obtendo 18 vitórias 5 empates e 4 derrotas marcou 40 gols e sofreu 20, no campeonato uruguaio o clube ocupa a primeira posição com 35 pontos conquistados em 15 jogos com 11 vitórias, 2 empates e duas derrotas, marcou 26 gols e sofreu 15.

LIBERTADORES DA AMÉRICA

Ignacio González comemora gol em partida da Libertadores

Já na Libertadores o Nacional caiu no grupo 7, junto com Lanús da Argentina, Chapecoense e Zulia da Venezuela, com uma campanha de 2 vitórias, 2 empates e 2 derrotas o clube classificou em segundo lugar no grupo. Abaixo os resultados do Nacional no seu grupo da Libertadores:

Lanús 0 x 1 Nacional
Nacional 0 x 1 Zulia
Chapecoense 1 x 1 Nacional
Nacional 3 x 0 Chapecoense
Zulia 0 x 0 Nacional
Nacional 0 x 1 Lanús

Como é possível observar, o Nacional não fez uma boa campanha dentro de casa com apenas uma vitória e duas derrotas.

O ELENCO ATUAL

Elenco Nacional 2017

O elenco do Nacional é bem encorpado, possuindo opções para todas as posições, normalmente o técnico Martín Lasarte manda a campo o time com uma formação 4-4-2 e utiliza com mais frequência os seguintes jogadores: o goleiro Esteban Conde, os laterais Jorge Fucile e Alfonso Espino, o miolo da zaga com Diego Polenta e Rafael García, já no meio o técnico normalmente opta pelo volantes Santiago Romero e Sebastián Rodríguez e na armação com Kevin Ramirez e Álvaro González e no ataque Rodrigo Aguirre e Hugo Silveira.

Outras boas opções que dispõe o time do Nacional são o zagueiro Diego Arismendi, o volante Gonzalo Porras e os atacantes Tabaré Viudez, Sebastián Fernández.

ÍDOLOS EM COMUM

Hay que tener cojones en la Libertadores

Botafogo e Nacional possuem dois ídolos em comum, o primeiro deles, o goleiro Manga, que defendeu o clube entre 1968 a 1974, onde conquistou a Libertadores e o Mundial de Clubes de 1971. Outro ídolo, só que mais recente é Washington Sebastián Abreu Gallo, ou simplesmente Loco Abreu, fez história vestindo as camisas do Botafogo e do Nacional, seu clube de coração, tendo levantado títulos importantes pelas duas instituições. Certamente o coração de Loco Abreu estará dividido nos próximos dois jogos entre as equipes.

CONFRONTOS ENTRE BOTAFOGO E NACIONAL

Botafogo e Nacional medem forças na Libertadores

Botafogo e Nacional já se enfrentaram em seis oportunidades com 3 vitórias para o Botafogo, 2 vitórias para o time uruguaio e 1 empate, dois desses confrontos ocorreram pela Copa Libertadores de 1973 e nas duas partidas o nosso Glorioso saiu com a vitória, no primeiro jogo realizado no Rio de Janeiro vitória por 3×2, já na segunda partida no Uruguai nova vitória pelo placar de 2×1

Esperamos que assim como em 73 a história novamente se repita e possamos comemorar a classificação às quartas!

Pra cima deles!!

Fonte: Rádio Botafogo


Clique para Comentar

Copyright © 2019 Rádio Botafogo. Todos os Direitos Reservados.

%d blogueiros gostam disto: