Redes Sociais

Notícias

Contraproposta vai pedir garantias de clubes e adiar discussão salarial; acordo coletivo fica mais distante

Publicado

em

Realidades distintas entre estados e de caixa faz FENAPAF preparar resposta com outros termos para acordo. Sinalização ainda é de negativa a oferta de Comissão Nacional de Clubes

A Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol vai enviar até esta quarta-feira resposta à Comissão Nacional de Clubes sem admitir corte de salário dos jogadores neste início de paralisação. Depois da segunda proposta dos clubes, no qual houve ajuste de proposta de 50% para 25% de desconto do salários dos atletas, jogadores de futebol querem discutir, primeiro, garantias para receberem pela antecipação das férias coletivas.

A contraproposta, que vai ser enviada à Comissão de clubes até esta quarta, prevê também alguma garantia de pagamento pela antecipação de férias – além de prazo menor para os clubes efetuarem esta repasse de verba a atletas. Leia mais abaixo a última proposta enviada pelos clubes.

– Não vamos discutir redução salarial agora. Alguns jogadores comentam que tem clube que não pagou o que tem do ano passado, como vou falar de redução salarial? O que vamos dizer na contraproposta, que ainda vai passar por sindicatos e grupos de jogadores, é pedir ampliação das férias, receber mais rápido e ter garantias sobre esses pagamentos – explicou o advogado Décio Neuhaus, da FENAPAF.

Os atletas não admitem discutir 25% de desconto, pois a maioria dos clubes no país tem dois, três meses de atrasos salariais – quando não há situações piores, inclusive em clubes grandes. A FENAPAF não representa diretamente os atletas, mas negocia com a Comissão Nacional de Clubes, que representa 46 times em todo país, por alguns sindicatos. Por isso, a resposta às duas propostas dos clubes vai vir através dela.

Representantes de jogadores entendem que ainda não há prejuízo financeiro aos clubes – ou seja, não houve cortes de verba de transmissão, de patrocinadores, nem outras receitas que só viriam em meses mais adiante (como janela de transferências para o futebol internacional, por exemplo) -, por isso não concordam com os futuros descontos em remuneração de atletas. Pelo menos não inicialmente.

Em Recife, o Sindicato dos Atletas Profissionais de Futebol de Pernambuco já receberam negativa de jogadores sobre a proposta da Comissão Nacional de Clubes. O presidente Ramon Ramos contou que jogadores de Náutico, Santa Cruz e Sport querem negociar diretamente com seus clubes, o que é uma tendência em outros estados também. Ou seja, diretorias negociarem diretamente com os atletas, com auxílio de cada sindicato estadual.

Na proposta, a Comissão Nacional de Clubes prevê, além dos descontos de 25% por “força maior”, da paralisação dos jogos, férias coletivas de 20 dias entre 1 e 20 de abril. Este ponto deve ser mantido a partir do decreto do governo federal, da última segunda-feira.

Última proposta dos clubes

  1. Concessão de Férias Coletivas de 20 dias a todos os atletas, no período compreendido entre os dias 1 de abril e 20 de abril de 2020, com pagamento integral no quinto dia útil do mês subsequente ao gozo das férias e o 1/3 constitucional a ser pago no mês de dezembro de 2020, de modo que os clubes – e somente eles – arcarão integralmente com a manutenção das atividades futebolísticas durante tal período;
  2. Garantia aos atletas do período de 10 dias restantes de férias no final do ano de 2020 ou no início de 2021, adequadas ao calendário que se desenhará após o retorno da paralisação;
  3. Redução da remuneração dos atletas em 25% durante o período da paralisação, como preceitua o artigo 503 da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) em casos extremos e de força maior.

Fonte: Globoesporte.com

Clique para Comentar

Copyright © 2019 Rádio Botafogo. Todos os Direitos Reservados.

%d blogueiros gostam disto: