Redes Sociais

Notícias

Da falta em Edno à cavadinha de Abreu: os 137 segundos de loucura do Botafogo para o título em 2010

Publicado

em

Entrevista com Loco e GIFs: o momento que ficou para a história alvinegra

Herrera abriu o caminho. Antônio Carlos e Fábio Ferreira foram gigantes. Jefferson parou Adriano na marca do pênalti em momento mais do que decisivo, mas a história do título estadual do Botafogo em 2010 merece ser contada num recorte de apenas 137 segundos. Parece pouco no universo de 90 minutos de uma decisão, mas foi o bastante para marcar as páginas gloriosas do Alvinegro.

O GloboEsporte.com conversou com Loco Abreu. Com direito a GIFs dos trechos, a reportagem montou a cronologia dos fatos entre 24m23s e 26m40s do 2º tempo, período que ficou eternizado no coração dos botafoguenses.

OS 137 SEGUNDOS DE LOUCURA

0s – 37s

Luis Roberto, na transmissão da TV Globo: “Herrera botando na esquerda para o Edno. Willians… O juiz está marcando a falta do Willians, que vai, toca na bola. Resta saber se o toque dele na bola o isenta de ter cometido a falta. Vamos ver, ele vai, acerta a bola…”

O árbitro Gutemberg de Paula Fonseca marcou falta na chegada do volante rubro-negro em Edno. O Botafogo, que nada tem a ver com isso, colocou os zagueiros na área. O mesmo Edno se posicionou para a cobrança na esquerda do campo.

38s – 61s

Luis Roberto: “O Loco Abreu é ótimo na jogada pelo alto, veja o levantamento, Fábio Ferreira caiu, o juiz vai marcar pênalti ou falta? Vamos ver o que ele vai marcar, vamos ver o que ele vai marcar… Ele vai marcar pênalti! Está punindo o Maldonado com cartão amarelo, ele já tem. Olha que momento do jogo: está expulso o Maldonado e tem um pênalti para o Botafogo (…) O Maldonado está segurando o Herrera, era o Herrera…”

Edno bateu forte na bola, que atravessou a grande área. Herrera tentou se desgarrar da marcação, mas foi nitidamente puxado por Maldonado. O árbitro marcou o pênalti e mostrou o cartão amarelo para o jogador do Flamengo: o segundo do chileno, expulso de campo.

62s – 102s

Ao ver Gutemberg mostrar o cartão vermelho ao jogador do Flamengo, Loco imediatamente começa um diálogo com Herrera. Caio, talismã do time de Joel, também chega na conversa. Tudo não passava de um combinado entre eles, segundo o próprio Loco Abreu.

Loco Abreu, em contato com o GloboEsporte.com: “Naquela época, já tinha combinado com o Herrera de bater um pênalti cada um e o destino fez aquela final ter um pênalti para um cada cobrar. O primeiro bate o Herrera, faz o gol. O Love empata, depois tem outro pênalti no segundo tempo, do Maldonado. Como era um e um, sobrou para mim o segundo pênalti”.

130s – 131s

Abreu colocou a bola na marca do pênalti e deu nove passos para trás, saindo da grande área. O olhar era fixo na bola (com leve desvio para o árbitro), justamente pela ideia fixa na cabeça prestes ao momento do duelo individual com Bruno.

Loco Abreu: “Na verdade, eu pensei em fazer a cavadinha porque todo mundo falava que o Bruno era um super pegador de pênalti. Então, ele não ficaria parado, iria se jogar, não tem outra (opção). Ele estava com muita moral”.

132s – 137s

O apito de Gutemberg é o som que antecede a história. Loco respirou, correu para a bola e fez aquilo que todo botafoguense guardou na memória e no coração. E não foi só a torcida no Maracanã que passou por segundos de tensão: o uruguaio admitiu que chegou a “pipocar” e deu até um pulinho para conferir se o devaneio tinha dado certo.

Loco Abreu: “Graças a Deus, deu certo. Eu bati de cavadinha, pegou na trave… Eu ainda dei um pulinho, dá para ver no vídeo. Pipoquei um pouquinho, mas a bola entrou e foi aquela loucura, uma felicidade impressionante”.

Pós-loucura

A cavadinha enlouqueceu a torcida, colocou pressão no Flamengo, que ainda parou em Jefferson na penalidade de Adriano. O título da Taça Rio de 2010, que garantiu a taça do Carioca, marcou a carreira de Abreu.

Loco Abreu: “A cereja do bolo foi o pênalti que, aos 40 minutos, o Jefferson pegou do Adriano, de maneira fantástica. Ali, deu para saber que o Botafogo ia ser campeão, foi muito bom. Fomos para a sede (General Severiano) comemorar com a nossa torcida. Parece que foi ontem, mas lá se vão dez anos, passa rápido”.

Fonte: Globoesporte.com

Clique para Comentar

Copyright © 2019 Rádio Botafogo. Todos os Direitos Reservados.

%d blogueiros gostam disto: