Redes Sociais

Colunas

Fogão sai na frente do Joinville na decisão da Liga Ouro.

Publicado

em

Feliz e Jamaal lideram, e Botafogo sai na frente do Joinville na decisão da Liga Ouro.

 

Jogando em casa, Alvinegro faz segundo tempo consistente para vencer os catarinenses e abrir 1 a 0 na série melhor de cinco que vale título e um lugar no Novo Basquete Brasil 2017/18.

Ei, você aí, o Bota vai subir, o Bota vai subir”. A torcida do Botafogo tem a certeza do título da Liga Ouro. É bem verdade que ele ainda não veio, mas nesta segunda-feira, o Alvinegro saiu na frente na briga pela taça. Com o Ginásio Oscar Zelaya lotado, o time carioca atuou em casa, bateu o Joinville por 83 a 67, venceu a primeira da série melhor de cinco e abriu 1 a 0 na contagem que vale não apenas o troféu, como também um lugar na elite do basquete brasileiro na temporada 2017/18 com a presença no Novo Basquete Brasil.

Ocupando todos os espaços, a torcida do Botafogo empurrou o tempo inteiro. E carregou a equipe. Cérebro da equipe, Jamaal distribuiu bem o jogo e terminou a partida sob gritos de MVP com 14 pontos, quatro rebotes e sete assistências. O pivô Feliz foi outro destaque, sendo o cestinha do time com 19 pontos e dez rebotes, um duplo-duplo. Vindo do banco, Arnaldinho contribuiu com 15 pontos. No Joinville, que não funcionou coletivamente e não teve ninguém com mais de três assistências, Maxwell anotou 21 pontos, e Vezaro fez outros 19 pontos.

 

O próximo jogo entre as equipes acontece nesta quinta-feira, novamente no Rio de Janeiro, às 20h, no Ginásio Oscar Zelaya, na sede do Alvinegro, na Zona Sul do Rio de Janeiro. O terceiro encontro da série será em Joinville, no domingo, às 11h.

Início nervoso e Alvinegro devastador no segundo tempo

Casa cheia, gritos de incentivo e provocação vindos da arquibancada. Uma final é sempre diferente. E os jogadores de Botafogo e Joinville sentiram isso no começo do duelo 1 da decisão. Passados quatro minutos do primeiro quarto, o placar ainda marcava 0 a 0, com arremessos precipitados e pouco jogo de equipe. Os ataques tentavam, mas a munheca teimava em mostrar-se descalibrada. Com o contar do relógio, Jamaal, Wes e Feliz colocaram o Alvinegro no jogo. Do outro lado, Maxwell e Vezarinho fizeram o mesmo. Com aproveitamento melhor, os cariocas abriram 16 a 11 no minuto final do período inicial e incendiaram o Oscar Zelaya.

Mais consistente e rodando o seu quinteto, o Botafogo voltou para o segundo período mais equilibrado. Em três minutos, decolou no placar após cesta de três de Feliz, abrindo confortáveis 28 a 18. A diferença fez o Joinville parar o jogo, e os pedidos de tempo, por sinal, proporcionaram situações curiosas. O ginásio do Fogão coloca os torcedores bem próximos da quadra e com ângulo de visão de cima para baixo. Quando a bola parava, os Alvinegros não só perturbavam os rivais com gritos intermináveis, como também faziam às vezes de técnico e jogadores, ouvindo e arriscando instruções que certamente não eram ouvidas ou levadas em conta, mas divertiam. Inspirado, Jamaal ditava o ritmo com dribles, cestas e assistências, e o Botafogo terminou o primeiro tempo vencendo por 40 a 34.

 

Na volta dos vestiários, a torcida do Botafogo se empolgou logo nos dois minutos. Cravando e anotando dois pontos em lances livres, o pivô Feliz acordou a galera e ganhou até música: “Hoje eu tô feliz, hoje eu tô contente”. Aproveitando os contra-ataques, Arnaldinho foi à cesta duas vezes e o Fogão abriu 53 a 42 faltando três minutos de quarto. Carregado pela torcida, Jamaal distribuía bem o jogo, e as cestas seguiam caindo, seja com Arnaldinho ou Feliz. Do outro lado, Vezarinho acertou bola de dois, mas era pouco para diminuir a diferença que estava em 62 a 47 no final do período.

À vontade, o Botafogo não diminuiu o ritmo no quarto derradeiro. Jamaal seguiu distribuindo passes, e a sintonia com a arquibancada seguia a cada cesta de Feliz, cestinha do primeiro jogo da final. Nervoso, Joinville não conseguia se equilibrar no ataque. No três minutos finais, os visitantes tentaram o bote, trazendo para 77 a 67, mas o Alvinegro logo anotou mais três pontos com Douglas após cesta e falta e esfriou a reação tardia. Administrando nos dois minutos derradeiros, o Fogão não deixou a vantagem cair e fechou o jogo 1 com mais um rebote de Feliz, que terminou com o duplo-duplo na vitória por 83 a 67.

Fonte: globoesporte.globo.com


Clique para Comentar

Copyright © 2019 Rádio Botafogo. Todos os Direitos Reservados.

%d blogueiros gostam disto: