Redes Sociais

Notícias

Montenegro, do Botafogo, critica movimentos de Flamengo e Vasco: “Eles podem se tornar homicidas”

Publicado

em

“Quem vai se responsabilizar se um atleta ou um funcionário passar (o vírus) para um membro da família, alguém em casa?”, diz o dirigente, que é contra a volta aos treinos durante a pandemia

Para Carlos Augusto Montenegro, ex-presidente e membro do comitê gestor do futebol do Botafogo, os rivais Flamengo e Vasco põem em risco as vidas de jogadores e funcionários ao agirem pela volta mais rápida do futebol. Em contato com o GloboEsporte.com, o dirigente usou a palavra “homicida” para adjetivar a atitude dos co-irmãos cariocas nos bastidores da bola.

– Não tem justificativa para a volta do futebol. Estamos com um problema sério, principalmente, no Rio de Janeiro. No Brasil, estamos chegando perto de 1 mil pessoas (mortas) por dia. Todos os hospitais com problema. Não sei se as pessoas estão sendo irresponsáveis, homicidas ou se não estão regulando bem. O futebol não é atividade essencial – disse.

– Os clubes têm que ser grandes dentro e fora de campo. É uma atitude de time pequenininho. Eles podem se tornar homicidas forçando uma barra dessas. Quem vai se responsabilizar se um atleta ou um funcionário passar para um membro da família, alguém em casa? Que protocolo é esse? As pessoas vêm treinar e, quando voltam, podem estar contaminadas – completou Montenegro.

Na manhã desta terça-feira, os presidentes de Flamengo (Rodolfo Landim) e Vasco (Alexandre Campello) estiveram em Brasília para reunião com o presidente da República, Jair Bolsonaro. O encontro serviu para tratar da possível volta ao trabalho dos dois clubes no Distrito Federal. Mesmo durante a pandemia, o Mané Garrincha seria usado para treinos, oferta que foi feita pelos administradores do estádio há três semanas.

– Já conversei com o Nelson (Mufarrej, presidente) e com todos. A posição do Botafogo é de não jogar. Acho que a posição de Flamengo e Vasco é fazer um Carioca só com eles dois, uma Copa do Brasil só com eles dois e um Campeonato Brasileiro só com eles dois – continuou Montenegro.

A posição divergente no futebol carioca não é novidade. No início deste mês, a Ferj liberou os clubes a voltarem aos treinos. A iniciativa dividiu os quatro grandes do estado. A carta endereçada à opinião pública trouxe as assinaturas de Flamengo e Vasco, mas Botafogo e Fluminense se recusaram a participar.

Mais respostas de Montenegro

Botafogo foi informado sobre a reunião?

Estão agindo por conta própria, ninguém procurou a gente. Porque eles sabem que a gente não é irresponsável. A gente pode ter problema, faltar dinheiro… Não temos o elenco do Flamengo, mas aqui não tem irresponsável. A síntese é a seguinte: isso é uma covardia com os jogadores, a comissão técnica e os familiares dessas pessoas todas.

Cautela com a pandemia

Por que arriscar a vida dos jogadores, dos profissionais de futebol? O problema não é protocolo, mas tudo o que está acontecendo. Há falta de respiradores nos hospitais. Quero ver os clubes comprarem respiradores para esses jogadores, os funcionários, as famílias, porque no hospital, não tem.

Estou trabalhando para o Ministério da Saúde no Ibope e sei que o caso é sério. Em muitos estados, seríssimo e as pessoas pensando em futebol? Estão brincando com coisa séria. Então, combinem e façam todos os campeonatos só com Flamengo e Vasco. Arriscado o Vasco voltar a ser vice em tudo. Joguem só os dois, porque o Botafogo não vai jogar.

Comparação com Bundesliga

Estão querendo comparar com a Alemanha, mas já passou pelo pico. Por isso, estão engatinhando uma volta. Aqui no Brasil, ninguém sabe. Estamos indo para segundo no mundo em número de casos.

Fonte: Globoesporte.com


Clique para Comentar

Copyright © 2019 Rádio Botafogo. Todos os Direitos Reservados.

%d blogueiros gostam disto: