Redes Sociais

Notícias

Montenegro revela: “Alguns clubes falaram que vão processar Botafogo e Fluminense. Olha que criancice”

Publicado

em

A indefinição do fim do Campeonato Carioca, com decreto do prefeito Marcelo Crivella, arbitral na Ferj e aguardo da decisão do STJD revolta clubes do Rio de Janeiro, que estão contra Botafogo e Fluminense. O ex-presidente alvinegro Carlos Augusto Montenegro revelou ameaça de rivais de processo se a competição não terminar.

– Alguns clubes falaram que se o campeonato não voltar, vão processar Botafogo e Fluminense, se não receberem o dinheiro da televisão. Olha que criancice, que coisa infeliz… Agora vai ter que processar o prefeito, o coronavírus, o STJD, quem ele quiser… O que Botafogo e o Fluminense têm a ver com essa doença maldita? Fizeram protocolo para o jogo, não para a vida das pessoas. Jogador é quem menos vai ter problema. Por que nenhuma federação está falando em voltar, só o Rio – questionou Montenegro à Rádio Tupi.

Confira outros trechos da entrevista:

Cronologia

– Recebemos com naturalidade. Houve um arbitral, uma tabela foi imposta. Botafogo e Fluminense ainda estavam esperando os testes. Os clubes precisam se certificar de que existe uma pandemia, que nunca vimos na vida, que está trazendo 1.200 mortes por dia. Participei do arbitral, o pessoal está no mundo da lua. Só aqui no Rio se fala em futebol, em nenhum lugar da América Latina está se falando.

Mediação no STJD

– O que estava se discutindo na tentativa de mediação, houve um acordo em março para os times só voltarem a treinar quando as autoridades autorizassem e pedimos, no mínimo, 10 dias para treinar. Sinto que há uma raiva muito grande de FlamengoVascoVolta Redonda, dizendo que Botafogo e Fluminense não cumpriram o combinado.

Confusão no Rio

– Aqui no Rio as esferas municipais, estaduais e federais não se dão muito, um falava uma coisa, o outro falava outra. Nós estamos no meio da confusão toda. A maioria voltou, mas outros não, como Macaé e Cabofriense, além de Botafogo e Fluminense. Os resultados dos testes só saíram agora. Nós demos a palavra numa situação normal. As autoridades estão indo e voltando, cada região uma coisa. Está todo mundo dando prioridade à vida, não ao futebol.

Decreto de Marcelo Crivella

– O prefeito do Rio está preocupadíssimo, convocou os clubes no meio da semana, com a quantidade de gente da Baixada. Está todo mundo preocupado, porque esse pessoal está invadindo. É um problema muito sério. O prefeito se preparou para o Rio, abre algumas fases, ora vai, ora volta. Ele está pensando no ser humano, não só no futebol. Quem está pensando em futebol é uma meia dúzia de malucos, inclusive eu, participando dessas reuniões o tempo todo.

Retorno com Bangu x Flamengo

– Quinta-feira tivemos a comemoração dos 70 anos do Maracanã no jogo mais triste da história, mais fúnebre, ao lado de um hospital com pessoas morrendo. Foi uma comemoração de péssimo gosto.

Retorno do Botafogo

– Continuamos revoltados em ter que voltar, mas para ajudar, vamos aceitar as datas que o STJD determinar, o prefeito autorizar. Queremos terminar o campeonato no campo, receber a cota, chegar à semifinal e tentar ganhar o campeonato. Queremos terminar em campo, mas respeitando a vida humana.

Volta precoce do futebol

– Queriam que a gente tivesse dois dias de treinos depois de 90 dias parado. É uma falta de respeito. Não treinou antes por quê? Porque tinha uma “pandemiazinha”… Por isso, não treinamos. Parece que o protocolo mata o coronavírus, que ressuscita pessoa que morre, que dá jeito em tudo, que é a coisa mais competente do mundo. Eu e o presidente da Ferj estamos isolados, sabemos que não é uma doençazinha.

Argumentos favoráveis

– O presidente Dr. Paulo César Salomão, numa aula de democracia, ao invés de canetar, resolveu chamar todo mundo, chamou uma mediadora super correta, que teve uma paciência tremenda com uma porção de marmanjo desesperado, um tentando engolir o outro. O Dr., muito técnico e detalhista, consultou protocolos da CBF e da Ferj, consultou médico que disse que o normal para cada um mês de paralisação precisaria de uma semana de treinos. Então, aqui seriam três semanas. Em nenhum esporte do mundo aconteceu paralisação de 90 dias. Apesar disso, Botafogo e Fluminense aceitaram jogar em nove dias. A briga toda é por mais quatro ou cinco dias. O que é pior é que ninguém tem competição marcada após acabar o Carioca. Disso que rio muito, o pessoal está se matando para jogar agora e depois ficar 50 dias parados. Essa turma quer acabar logo para ficar em casa.

Resposta do STJD virá quando?

– Após o decreto do prefeito, todo mundo ficou desnorteado. O Dr. Paulo César está tentando continuar com possível mediação de datas, mas agora vai resolver com calma. Queria resolver rápido por causa do jogo de segunda, para evitar problemas. Se não chegasse a acordo neste sábado, ia tomar decisão até o final da tarde. Agora, com o decreto, falou de ver com calma, porque vai depender de nova avaliação do prefeito. As autoridades é que mandam.

Fonte: Redação FogãoNET e Rádio Tupi / Foto de Capa: Reprodução / YouTube


Clique para Comentar

Copyright © 2019 Rádio Botafogo. Todos os Direitos Reservados.

%d blogueiros gostam disto: