Redes Sociais

Notícias

“Paizão” e discreto, Espinosa encarou câncer em reta final no Botafogo

Publicado

em

A morte de Valdir Espinosa gerou grande consternação no Botafogo. Ele voltou ao clube no início do ano com a missão de gerenciar um novo grupo de jogadores que vinha se formando. A saúde do ex-técnico que tirou o clube da fila de 21 anos sem títulos em 1989 já não estava das melhores.

Nos últimos meses, Espinosa vinha emagrecendo sistematicamente. Vários quilos foram deixados pelo caminho enquanto lutava contra um câncer no intestino. O trabalho o motivava e a doença só foi revelada até mesmo para os dirigentes quando houve a necessidade de realizar uma cirurgia no local.

A família, inclusive, fez questão de respeitar o desejo de Espinosa e manteve tudo no maior sigilo até esta quinta-feira, quando ele não conseguiu se recuperar de uma segunda intervenção, mais emergencial. Ele também havia sido diagnosticado com pneumonia.

Após muitos técnicos com pouca rodagem, o Botafogo quis se cercar de medalhões identificados com o clube. E Espinosa deu início ao aceitar ser gerente técnico. Após a demissão de Alberto Valentim, houve um consenso por Paulo Autuori e o novo dirigente foi para que o amigo reassumisse um clube brasileiro.

No Botafogo, fazia o elo entre diretoria e jogadores. Sério quando precisava, mas seu estilo era muito mais próximo do “paizão” do que de um carrasco. Nos momentos de distração, arrancava gargalhadas dos jogadores com suas resenhas.

Mesmo sendo “paizão” houve momentos em que Espinosa teve que falar mais sério. E ele chamou a responsabilidade no período em que Valentim foi demitido. A conversa com o grupo nesses dias foi de muita cobrança. Um tom acima do que o grupo estava acostumado até então.

Ali deu a mensagem que o compromisso com o Botafogo estava acima de qualquer relacionamento. Fez sua função sem agredir ninguém, mas o recado foi passado. O histórico de Espinosa o tornava um profissional bastante respeitado. Os atletas sentiam que deveriam escutar o que estava sendo dito.

A última passagem pelo Botafogo foi curta e interrompida de maneira drástica. Restam as memórias e frases. Ao ser reapresentado, disse que lutaria para que a estrela solitária brilhasse ainda mais. A missão seguirá, mas em outro plano.

Fonte: UOL

Clique para Comentar

Copyright © 2019 Rádio Botafogo. Todos os Direitos Reservados.

%d blogueiros gostam disto: